Os melhores profissionais da saúde em um único lugar!

Devo vacinar meu filho?


Devo vacinar meu filho?

Devo vacinar meu filho?


Em 1998, foi publicado um artigo na revista Lancet, associando autismo à vacina tríplice viral (rubéola, caxumba e sarampo). Pronto! Foi o suficiente para o movimento antivacinas tomar força e os pais deixarem de vacinar seus filhos. Alguns anos depois, foi descoberto que o autor do artigo recebia dinheiro das indenizações de processos por danos vacinais e mais, os dados do artigo eram falsos! A revista retirou o artigo de
circulação e pediu desculpas, mesmo assim, milhares de pessoas não foram vacinadas. Então, vamos aos fatos:

As vacinas são uma das maiores conquistas da medicina. Com elas, conseguimos erradicar diversas doenças que matavam e sequelavam as populações. Sarampo, poliomielite, difteria, rubéola eram doenças comuns e hoje não são mais vistas graças ao calendário vacinal do Ministério da Saúde.

Como a vacina funciona? A vacina é feita com uma pequena quantidade de antígeno. Esse antígeno entra no corpo e provoca uma reação no sistema imunológico, formando anticorpos específicos para aquele agente invasor. Quando houver contato por aquele agente, o corpo já tem os anticorpos preparados para combater aquela infecção. Resumindo, a vacina ensina nosso sistema imune a vencer a batalha contra a infecção.

Já que estamos no mês de abril, que tal falarmos um pouco da vacina da gripe?

A gripe é doença viral, que se apresenta de forma sazonal (alguns meses do ano). Pode variar de sintomas leves, como febre, tosse, coriza e dor no corpo, até insuficiência respiratória grave levando ao óbito. A gravidade da gripe vai depender da agressividade do vírus, do estado imunológico do paciente e de fatores como idade (crianças e idosos apresentam formas mais graves da doença), pessoas portadoras de asma, doenças cardíacas e transplantados, que também constituem população de risco.

Existem dois tipo de vacina da gripe. A trivalente, que imuniza contra os três principais vírus (H1N1, H3N2 e um subtipo de Influenza B), a qual está disponível na rede básica, e a vacina tetravalente, disponível apenas na rede privada, a qual possui uma cepa a mais do subtipo de Influenza B.

Para evitar a gripe e também a maioria das doenças devemos, além de vacinar,

SEMPRE fazer a higiene das mãos com água e sabão ou álcool a 70%, evitar

ambientes fechados com muitas pessoas, estimular o aleitamento materno e evitar a exposição ao cigarro/fumaça. A principal forma de transmissão dos vírus respiratórios é pelas mãos contaminadas!

Todas as vacinas do calendário do Ministério da Saúde estão disponíveis gratuitamente nos postos de saúde. Não há desculpa para não vacinar. A vacina é um direito da criança, portanto, dos pais, a obrigação de fazê-la.

Dra Luíza Ruschel Pitrez, médica pediatra, CREMERS 38517

Fonte: Dra Luíza Ruschel Pitrez