Os melhores profissionais da saúde em um único lugar!

Tecnologia - Ônus e Bônus - Série sobre as Tecnologias - Texto 3


Tecnologia - Ônus e Bônus - Série sobre as Tecnologias - Texto 3

Você Tem Nomofobia? (Medo de ficar sem o Celular)

Desde que surgiram, os telefones celulares vêm provocando receios quanto a seus possíveis efeitos nocivos. Especialistas analisam impactos da radiação emitida pelos aparelhos e mudanças de comportamento.

Ansiedade

Você já checou o seu celular a todo momento para saber de continham novas notificações em seu perfil do Facebook ou no Whatssap? Isso pode gerar alguns distúrbios psicológicos como a ansiedade.

O problema de ansiedade é bastante vinculado ao uso incorreto de tecnologias, principalmente a utilização em excesso das redes sociais.

A ansiedade é um distúrbio caracterizado pela preocupação excessiva ou expectativa apreensiva, persistente e de difícil controle. O Brasil lidera o ranking mundial de pessoas que sofrem com esse transtorno, com mais de 2 milhões de vítimas, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). Vivemos em um mundo conectado, mais dependente das tecnologias e também mais ansioso, devido aos estímulos e cobranças das redes sociais, comparações e excessos de informação.

Depressão

O uso de tecnologia em excesso também pode levar ao desenvolvimento da depressão, já que muitas vezes as pessoas deixam de lado a vida pessoal e profissional para focar somente no mundo virtual, de forma a tentar esquecer a realidade. Esse afastamento da vida real pode gerar muitos problemas psicológicos, como a depressão. 

Além disso, muitas pessoas mostram nas redes sociais apenas uma vida perfeita, como se essa fosse à realidade, o que gera frustrações em outros indivíduos. Esse compartilhamento de “vidas perfeitas” pode levar à comparação social e gerar sentimentos negativos. 

Estresse

A sensação de querer estar sempre disponível para os amigos e colegas de trabalho pode gerar bastante estresse. Por isso é muito importante saber que a internet é apenas um recurso social e que não podemos ser regidos pela mesma.

A ideia de que é necessário estar sempre disponível pode gerar problemas psicológicos e sensações ruins, como o estresse. 

Baixa autoestima

A internet é um meio social no qual pode gerar bastante comparação social, principalmente por conta do compartilhamento de fotos relacionadas a uma vida perfeita. 

Portanto, fotos de corpos esbeltos que muitas vezes são alterados com o uso de photoshop, de ostentação em viagens e de um cotidiano glamouroso podem fazer com que as outras pessoas se sintam mal de modo a afetar a sua autoestima.

Dependência


Quando a necessidade de estar com o celular por perto vira compulsão, é hora mesmo de tomar cuidados.  No fim de 2017, a OMS (Organização Mundial de Saúde) decidiu incluir a compulsão por jogos eletrônicos como transtorno mental em sua lista referência de doenças. A obsessão por celulares, seja para acessar redes sociais, jogar algo como passatempo ou checar e-mail, não é configurada como doença, mas não deixa de ser percebida como um problema.

Nos EUA, já deram um nome para isso: nomofobia (de no mobile phobia, em tradução livre, medo de ficar sem celular). A nomofobia também faz com que a pessoa perca o controle sobre o quanto algo ocupa de energia e tempo na sua vida, de tal forma que essa atividade atrapalha outras esferas sociais, como a do  trabalho e das relações pessoais e familiares, chegando até a ser prejudicial à  saúde.

“A dependência em relação à tecnologia ainda é discutível porque as pessoas associam dependência a substâncias, como drogras e alcool. Só que  comportamentos também podem ser viciantes, como é o caso dos jogos”, compara a psiquiatra Miriam Gorender. “Em termos de cérebro, ambos os casos envolvem o mesmo circuito de prazer e recompensa”, conclui. 

Em casos sérios é crucial buscar ajuda de profissionais psicólogos qualificados, para realizar um acompanhamento terapêutico. Uma excelente opção é fazer terapia com psicológicos especializados no assunto, buscar auxilio de grupos terapeuticos e ferramentas que possam auxiliar na prevenção de compulsão pelo uso da interne! Então não deixe de procurar auxílio para tratar qualquer distúrbio mental gerado pelo uso inadequado de tecnologia. 

Para findar o artigo, deixo uma reflexão:

Quais foram os três melhores momentos que você vivenciou no ano de 2019? Em algum deles você estava na internet?